Você, usuário de lente de contato, tem feito sua revisão oftalmológica periódica?

Você acabou de fazer a adaptação de lentes de contato em um consultório médico e isso pode ser determinante para que você tenha sucesso na adaptação.

A adaptação de lentes de contato envolve o contato direto das lentes sobre a córnea e pode interferir diretamente no seu metabolismo, o que na prática pode resultar em complicações oculares.

Antes de escolher as lentes que você irá começar a usar a partir de agora, você foi examinado para saber se é portador de alguma alteração ocular que impeça ou interfira no uso das lentes. Além disso, foram analisadas várias características de seus olhos para que fosse escolhida uma lente adequada para o seu caso.
O processo de adaptação é dinâmico e você terá que ser periodicamente examinado para que possíveis correções possam ser feitas.

INFORMAÇÕES ÚTEIS

Muitos pacientes abandonam o uso de suas lentes por causa de problemas que poderiam ser solucionados com tratamento relativamente simples ou com orientação adequada.

Além da falta de orientação, outro fator decisivo para que algumas pessoas desistam de usar suas lentes é a manutenção inadequada ou o uso incorreto de produtos, como por exemplo, o soro fisiológico. Se você não cuida bem se suas lentes, a chance de vir a desenvolver algum tipo de complicação será muito maior.

É muito importante que você saiba os riscos causados pela substituição do produto para limpeza e desinfecção pelo soro fisiológico. O soro não limpa e nem retira os depósitos de proteínas das lentes, deixando-as mais sujas, contaminadas e menos confortáveis. Além disso, o soro pode ser um meio propício à proliferação de microrganismos nocivos à saúde ocular.

Na verdade, a maior causa de reações tóxicas em usuários de lentes de contato é o uso de soro fisiológico, devido à presença de conservantes químicos na sua composição.

PRINCIPAIS DÚVIDAS

As contra-indicações, manutenção e possíveis complicações das lentes de contato cosméticas, são as mesmas de qualquer lente de contato gelatinosa.

Dormir com lentes de contato aumenta o risco de complicações, tais como úlcera de córnea.

Nem todas as lentes chamadas de uso prolongado são adequadas para uso durante o soro.

As lentes de contato podem ser usadas na praia, no mar, piscina ou natação, desde que você não abra os olhos embaixo d’água, ou use óculos de mergulho.

Caso queira usar maquiagem, aplique-a após a colocação das lentes, evitando assim que a lente “traga” resíduos para dentro dos olhos.

O uso de óculos escuros sobre as lentes de contato não é obrigatório, mas pode trazer mais conforto durante o uso em ambientes muito claros.

Devido ao alto risco de contaminação, deve-se evitar o uso de lentes em saunas.

O número de horas de uso de lente de contato por dia, vai depender do tipo de lente e das condições do olho.

O uso de lentes em avião deve ser evitado em função do ressecamento causado pelo ar condicionado e pela baixa umidade.

A prática de esportes não contra-indica o uso de lentes de contato. As lentes duras podem sair do olho em esportes de contato ou quebrarem em caso de trauma direto (tênis, squash, golf).

MAIS ALGUMAS DICAS IMPORTANTES

Toda lente de contato movimenta-se no olho a cada piscar, podendo em alguns casos deslocar-se. Caso isso se repita muito ou se a lente sair do olho com freqüência, comunique-se com seu médico.

Receita de óculos não é receita de lentes de contato. As características da sua lente são obtidas após um teste.

Todo usuário de lentes dever ter um óculos, mesmo que não esteja atualizado, para ser usados em situações inesperadas (perda da lente, conjuntivites, irritações) e também para uso em casa quando não estiver com as lentes.

TIPOS DE LENTES DE CONTATO E SUAS DIFERENTES FORMAS DE USO

O primeiro material usado na fabricação de lentes de contato, que realmente possibilitou um avanço no seu uso, foi o PMMA (poli-metil-metacrilato), conhecido como acrílico.

Na década de 70 surgiram as primeiras lentes gelatinosas, feitas com um material chamado HEMA (hidroxil-etil-metacrilato). Tendo como grande diferencial o conforto, estas lentes se popularizaram rapidamente, tornando-se uma ótima opção para aquelas pessoas que não conseguiram usar as lentes feitas em acrílico devido ao desconforto.

Nos anos 80, com o aparecimento dos matérias siliconados e fluorsiliconados, também conhecidos como gás permeáveis, houve outro grande avanço na contatologia. Estes novos materiais permitiam que o oxigênio passasse pela lente e chegasse à córnea, afetando menos a fisiologia corneana, diminuindo assim a incidência de complicações.

Mais recentemente foram lançados materiais que podem ser considerados como uma nova família, diferentes, portanto das clássicas lentes duras e gelatinosas. São as lentes de siloxane-hidrogel, que mesclam características e componentes tantos das lentes rígidas, gás permeáveis como das gelatinosas. A grande vantagem deste material é uma grande passagem de oxigênio, o que em termos práticos significa que o metabolismo da córnea sofrerá menos interferência, podendo ser usadas por até alguns dias sem retirá-las.

Podemos afirmar que hoje nosso mercado tem todas as principais lentes existentes no mundo e que, pelo menos a princípio, podemos corrigir todos os problemas de grau com lentes de contato.

As lentes duras podem ser siliconadas, fluorcarbonadas ou híbridas e podem ter pequenas diferenças de acabamento dependendo de quem as fabrica. A escolha do material será feita pelo seu médico em função de suas necessidades.

As lentes gelatinosas podem ainda ser convencionais, que duram cerca de um ano ou descartáveis. Estas podem ter períodos de descarte diferentes, sugerido pelo fabricante (1,7,15 ou 30 dias), em função do material e da forma de uso. Neste caso também a escolha do tipo de lente, da forma de uso e do tempo de descarte será feita pelo seu médico.

As lentes gelatinosas podem ainda ter características especiais quando destinadas à correção de problemas específicos. As mais conhecidas são as tóricas, usadas para correção do astigmatismo e as bifocais ou multifocais, para corrigir a presbiopia (vista cansada).

EXISTEM CONTRA-INDICAÇÕES AO USO DE LENTES DE CONTATO?

Existem várias situações em que as lentes podem ser contra-indicadas. Devemos ter em mente que nem todos podem usá-las e quem nem todas as lentes de contato servem para todos os pacientes.

O ideal é que antes de usar as lentes, o paciente passe por uma avaliação oftalmológica. Somente após o exame ocular é que poderemos avaliar a real indicação para o uso das lentes, bem como verificar se há alguma doença ocular em atividade que contra-indique ou mesmo interfira no seu uso. E, baseado no exame, saberemos qual a melhor lente para cada caso.

Apesar de muitos não saberem , as lentes rígidas são mais fisiológicas que as gelatinosas, causando portanto menos complicações. Além disso, do ponto de vista óptico, as lentes rígidas possibilitam melhor qualidade de visão. Isto torna-se mais evidente nos casos em que a superfície da córnea é irregular (como nos casos de ceratocone, após traumas, úlceras ou cirurgias), pois para estas pessoas, a lente rígida pode ser a única opção para se alcançar uma acuidade visual satisfatória.

Por outro lado, o conforto das gelatinosas é cada vez maior e sem dúvida responsável pelo grande número de usuários. Houve também um grande avanço nas lentes gelatinosas especiais para correção de astigmatismo (tóricas) e de presbiopia ou vista cansada (multi ou bifocais).

COMO CUIDAR DAS SUAS LENTES DE CONTATO

Toda lente deve a princípio passar por um processo de manutenção que inclua limpeza diária, desinfecção e retirada de depósitos de proteínas.

As lentes usadas por mais de 30 dias e que não forem descartadas devem passar por estas 3 etapas. As lentes que forem descartadas num prazo de 15 dias de uso podem dispensar a desproteinização ou em outras situações a critério médico. Baseado no exame ocular, pode-se optar por diminuir o período de descarte de uma lente, bem como alterar o esquema de manutenção, mais um motivo para que se faça um acompanhamento com o oftalmologista.

Profa. Dra. Ana Luisa Höfling-Lima
CRM: 37.846 SP Prof.

Dr. Michel Eid Farah
CRM: 33.845 SP

Relação de Newsletters

×
Olá, quero marcar uma consulta!