Lentes de Contato Esclerais

CONHEÇA SOBRE ESSA TECNOLOGIA

Sem título-1
As lentes de contato esclerais foram desenvolvidas com alta tecnologia que possibilita a troca lacrimal necessária para que o fluído entre a lente e a córnea possa ser adequadamente renovado, garantindo hidratação e oxigenação, mantendo assim a saúde fisiológica corneana.
Com as lentes esclerais conseguimos obter um livramento total da córnea e do limbo, sem comprometer a esclera e os vasos presentes nessa área.
È uma lente de contato rígida GP, BOSTON XO, com DK 140, alto índice de permeabilidade ao oxigênio, o que permite um numero de horas de uso bem maior, por mais de 12 h continuas, sempre com adequada troca lacrimal.
É tecnologia avançada aplicada em benefício da saúde ocular.
Devem ser usadas em pacientes que não conseguem um resultado de conforto e boa acuidade visual com outros tipos de LC.

Consulte regularmente seu oftalmologista

 

INDICAÇÕES

Além de excelente resultado em ceratocone, tem ótima indicação para ceratoglobo, ceratocone pós-implante de anel, degeneração marginal pelúcida, póstransplante de córnea, pós-cirurgias refrativas e póstrauma.
Possibilita também o uso terapêutico em casos de olho seco, Síndrome de Sjogren, Síndrome de Stevens- Johnson, e outras patologias que afetam a mucosa ocular.
É importante também a utilização em pacientes com intolerância absoluta à lentes de contato RGP (rígidas) feitas com materiais já existentes no mercado, e pacientes que com o tempo desenvolvem intolerância alérgica às lentes hidrofílicas gelatinosas, permanentes ou descartáveis (olhos vermelhos e sensação de irritação).
A adaptação das lentes esclerais tem proporcionado excelentes resultados, levando em consideração que as córneas estejam saudáveis e a microscopia especular indique uma contagem de células endoteliais dentro da normalidade.
O paciente será submetido a um treinamento adequado para aprender a colocar e retirar as lentes de contato esclerais.
É usada uma técnica específica, que depois de dominada com orientação do especialista, e com disposição e determinação de aprender, o paciente sentirá segurança e tranquilidade sempre mantendo controle desde o início do processo de uso, garantindo assim o equilíbrio fisiológico da córnea.
O paciente deverá inserir a lente de baixo para cima, observando, após a colocação, se não existe formação de bolhas, o que é contraindicado (não deve haver bolhas de ar entre a lente e o olho).
Para retirar a lente escleral, o paciente utiliza uma ventosa própria para lentes de contato que produz um efeito de pressão negativa e gruda na lente, sempre colocando numa área periférica, geralmente próxima a pálpebra inferior a fim de que a sucção seja feita delicadamente sem necessidade de esforço.
Embora seu custo seja maior, são lentes que se bem cuidadas poderão ter uma vida útil media de três anos aproximadamente.
Por este motivo é importante recomendar ao paciente que faça as revisões estabelecidas pelo oftalmologista que garantirão a sua segurança e o seu bem estar.

Devem ser usadas em pacientes que não conseguem um resultado de conforto e boa acuidade visual com outros tipos de LC.

Clique aqui e faça o download em PDF

Material Informativo

×
Olá, quero marcar uma consulta!