Febre Amarela Perguntas e Respostas

A SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE, A COORDENADORIA DE CONTROLE DE DOENÇAS E A DIVISÃO DE VIGILANCIA EPIDEMIOLOGICA DIVULGAM…

FEBRE AMARELA PERGUNTAS E RESPOSTAS

Qual é a diferença entre a Febre Amarela Silvestre e Febre Amarela Urbana?
A diferença entre elas é o vetor. Na cidade a doença é transmitida pelo Aedes aegypti, o mesmo mosquito que transmite a dengue e na mata, os mosquitos são dos gêneros Haemagogus e Sabethes.

Como a Febre Amarela Silvestre é transmitida?
A febre amarela silvestre é transmitida através da picada de mosquitos Haemagogus e Sabethes, que vivem em matas e vegetações à beira dos rios. Quando o mosquito pica um macaco doente, torna-se capaz de transmitir o vírus a outros macacos e ao homem.

O vírus é transmitido por macacos?
Não. O vírus é transmitido pela picada de mosquitos Haemagogus e Sabethes, que vivem em matas e vegetações. O inseto infecta tanto humanos quanto os macacos.

Como se prevenir da Febre Amarela Silvestre?
A vacinação é a principal medida de prevenção.
Quem deve se vacinar?
A vacina é recomendada para moradores ou pessoas que se deslocam para área com circulação do vírus no Brasil e aos viajantes para os países com risco de transmissão de Febre Amarela. No Município de São Paulo é recomendada para pessoas residentes na região norte e em algumas localidades da região sul e oeste.

Quantas doses da vacina de FA é preciso tomar? Qual a diferença da dose total (plena) e fracionada?
Na vacina plena (dose total) a dose é única e confere imunidade para toda a vida. Diante do momento epidêmico enfrentado por alguns estados da federação, inclusive o estado de São Paulo, o Ministério da Saúde adotou a dose fracionada da vacina que será aplicada em campanha de forma a proteger um grande número de pessoas. Estudos indicam que a vacina da febre amarela em dose fracionada protege, pelo menos, por 8 anos. No estado de São Paulo a campanha acontece a partir do dia 25 de janeiro e o objetivo é vacinar com a dose fracionada regiões onde não há detecção de circulação do vírus, e vacinar com a dose plena pessoas que moram em regiões onde foi detectada a circulação do vírus, por meio de morte de macacos e/ou casos da doença em humanos.

Onde posso tomar a vacina?
Nas UBS de referência, localizadas em todas as regiões do estado de São Paulo e nos ambulatórios dos viajantes dos CRIE, para os que irão viajar (informações complementares em www.cve.saude.sp.gov.br )

Quem não pode tomar a vacina e/ou que tem restrições que precisam ser
avaliadas?
• Crianças menores de 9 meses
• Gestantes
• Mulheres amamentando crianças menores de 6 meses*
• Pessoas com câncer em uso de quimioterapia e/ou radioterapia
• Transplantados de órgãos sólidos e/ou medula óssea
• Uso de corticóide com dose imunossupressora
• HIV e qualquer doença imunossupressora
• medicamentos imunossupressores
• Miastenia Gravis
• Doenças do Timo
• Lúpus
• Doença de Addison
• Artrite reumatóide
• Alergia grave ao ovo e derivados da galinha,

*Mulheres que estão amamentando bebês com até 6 meses de idade e que residem ou circulam em área de recomendação da vacina contra a febre amarela, se houver a indicação da vacinação da mãe, o aleitamento deve ser interrompido por 10 dias. Essas mulheres devem procurar um serviço de saúde para orientação e acompanhamento a fim de manter a produção do leite materno. A mãe pode fazer a ordenha do leite, antes da aplicar a vacina, mantendo congelado por 28 dias em freezer ou congelador.

Posso apresentar reação após a aplicação da vacina?
Sim. A reação mais frequente é a dor no local de aplicação, que tem intensidade leve e moderada e pode durar 1 ou 2 dias. Outras manifestações, que são consideradas sem gravidade, são febre com duração de até 7 dias, dor de cabeça e dor no corpo. Essa é uma vacina das mais seguras e eficazes, entretanto, raramente reações graves tem sido notificadas.

Após a infecção pelo vírus, quanto tempo leva para a doença ficar aparente (iniciar os sintomas)?
Em média de três a seis dias após a picada do mosquito transmissor infectado, mas pode levar até 15 dias para o surgimento dos primeiros sintomas.

Quais são os sintomas da doença?

  • febre de início súbito
  • calafrios
  • dor de cabeça
  • dores nas costas
  • dores no corpo em geral
  • náuseas, vômitos
  • fadiga
  • fraqueza
  • icterícia (coloração amarelada da pele e do branco dos olhos)
  • sangramentos

O que devo fazer se apresentar os sintomas?
Procurar um médico na unidade de saúde mais próxima e informar sobre qualquer viagem ou deslocamento para área de risco nos 15 dias anteriores ao início dos sintomas.

Como é o tratamento para febre amarela?
Paciente deve procurar atendimento médico imediato. O tratamento é sintomático, com repouso e com hidratação. Nas formas graves, o paciente pode necessitar de Unidade de Terapia Intensiva. Salicilatos devem ser evitados (ex. AAS e Aspirina), já que seu uso pode favorecer o aparecimento de hemorragias.

Que época do ano a doença é mais comumente registrada?
Estudos têm demonstrado que a doença ocorre com maior freqüência nos meses de dezembro a maio. Esta é a estação das chuvas, quando há um aumento das populações de mosquitos, favorecendo a circulação do vírus.

Qualquer pessoa está em risco de contrair febre amarela silvestre?
Sim. Qualquer pessoa não vacinada, independentemente da idade ou sexo, que reside ou viaja para áreas de risco.

A febre amarela silvestre é contagiosa?
A doença não é contagiosa, ou seja, não há transmissão de pessoa a pessoa e nem entre animais e pessoas. É transmitida somente pela picada de mosquitos infectados com o vírus da febre amarela

ATENÇÃO! Outros Cuidados: Uso de Repelentes e Mosqueteiros:

Para pessoas não vacinadas contra a Febre Amarela ou que se vacinaram há menos de 10 dias, se precisarem visitar e circular nas áreas situadas no entorno (500 metros) dos Parques Anhanguera, Horto Florestal e Cantareira, recomenda-se o uso de repelentes, seguindo as instruções do fabricante, conforme o rótulo do produto.
O uso de repelentes também é indicado para os residentes dessas áreas que foram vacinados há menos de 10 dias, pois a vacina confere imunidade após esse período, bem como para pessoas que têm contra-indicação para uso da vacina.
No caso de crianças pequenas, cobrir berços e carrinhos com mosqueteiro.

Material Informativo