Tomografia de Coerência Óptica (OCT)

DEFINIÇÃO

Exame de imagem digital com análise por meio de interferometria das camadas da retina e coróide, do disco óptico e da interface vítreo-retiniana. As propriedades ópticas destes tecidos são detectadas e reconstituídas de forma semelhante a um corte morfológico “in vivo” com alta resolução (10 micra).
tomografiadecoerenciaoptica

ORIENTAÇÕES

  • Não há necessidade de Jejum;
  • Dilatação da pupila de ambos os olhos, com embaçamento visual temporário em média, de 6 a 8 horas de duração;
  • Presença de acompanhante maior de 18 anos é opcional não obrigatória;
  • Durante o exame, são feitas projeções luminosas do fundo de olho que utilizam laser de baixa intensidade;
  • Não há a necessidade de suspensão de qualquer medicação e/ou de colírios exceto mióticos (ex: pilocarpina).

REGIÕES ESTUDADAS

O paciente é orientado para apoiar o queixo e a testa devendo olhar para a luz de fixação. Um feixe luminoso passa em frente ao olho, realizando rastreamento, sendo importante manter o olhar concentrado durante todo procedimento.

As estruturas examinadas são as camadas da retina e coróide centrais e peripapilares, assim como nervo óptico e interface vítreo-retiniana.

INTERPRETAÇÃO E COMENTÁRIOS

A tomografia de coerência óptica (OCT) permite a análise de pequenos defeitos de difícil avaliação por qualquer outro tipo de método diagnóstico.

Não poderá ser realizado em caso de opacidade significativa de meios como catarata e hemorragia vítrea.
O equipamento dispõe as imagens das camadas da retina e da coróide como cortes histológicos seriados, radiais a partir do disco óptico (papila) ou circulares.

Pequenas lesões da coróide e da retina podem ser identificadas, medidas e acompanhadas com esta técnica.

INDICAÇÕES

Este método é indicado principalmente para pacientes com retinopatia diabética, retinopatia hipertensiva, edema de mácula, buraco macular, retinopatia serosa central, degeneração macular relacionada à idade, doenças inflamatórias ou infecciosas coriorretinianas, assim como distrofias de retina, traumatismo retiniano, descolamento de retina, lesões pigmentadas ou de tumores (como por exemplo nevo, melanoma ou hemangioma) pouco sobrelevados.

Permite a aferição de acúmulo de líquido sub-retiniano ou pré-retiniano, mensuração da espessura da retina e individualmente de suas camadas.

Tem utilidade em casos de glaucoma, para determinar a existência e localização de defeitos focais da camada de fibras nervosas, bem como avaliação volumétrica da escavação da papila, além da detecção de outras doenças do nervo óptico.

ORIENTAÇÕES

  • Não há necessidade de Jejum;
  • Dilatação da pupila de ambos os olhos, com embaçamento visual temporário em média, de 6 a 8 horas de duração;
  • Presença de acompanhante maior de 18 anos é opcional não obrigatória;
  • Durante o exame, são feitas projeções luminosas do fundo de olho que utilizam laser de baixa intensidade;
  • Não há a necessidade de suspensão de qualquer medicação e/ou de colírios exceto mióticos (ex: pilocarpina).

×
Olá, quero marcar uma consulta!