Colírios

PEQUENOS CUIDADOS, GRANDES RESULTADOS

colirio01

Para preservar a visão, é preciso cuidar dos olhos. Isso todo mundo sabe! Mas talvez, em nosso dia-a-dia, não tenhamos atenção devida para algumas medidas simples, capazes de preservar este bem tão precioso.

Uma causa frequente de problemas com os olhos é o uso incorreto de medicamentos, como colírios e pomadas, ora por automedicação – uma prática que deve ser abolida, pois representa riscos realmente grandes – ora por aplicação incorreta, o que faz com que não se obtenha o resultado esperado.

Este folheto que você tem em mãos se propõem a oferecer informações rápidas sobre cuidados na aplicação e manuseio de colírios oftalmológicos. Leia e conheça um pouco mais sobre o assunto. Se ao final da leitura ainda tiver alguma dúvida, converse com seu oftalmologista.

COLÍRIO

É um medicamento de uso tópico (para ser aplicado, e não para ser ingerido) especialmente desenvolvido para os olhos e pálpebras. Os principais tipos de colírio são: antibiótico, anti-inflamatório hormonal (com corticoide) e não hormonal (sem corticoide), antialérgico, vasoconstritor, lubrificante, antiglaucomatoso (para tratamento de glaucoma) e os anestésicos.

Como acontece com outros medicamentos, que têm diferentes finalidades e ações sobre nosso organismo, sob a forma de colírios temos medicamentos com usos bastante específicos.

Por isso é muito perigosa a crença de que o colírio que serve para uma pessoa serve para outra, ou ainda que usar colírio sem indicação do médico não traz nenhum problema aos olhos.

ANTES DE APLICAR:

Lave bem as mãos. Com isso você evita a contaminação dos olhos e do frasco de colírio; Confira a embalagem: o medicamento que você pegou é realmente o colírio receitado? Muitas vezes as embalagens são iguais, mas os medicamentos em ações muito diferentes; Confira a validade do colírio: qualquer medicamento fora do prazo de validade pode trazer danos à saúde; Agite bem, se na bula houver alguma instrução para fazê-lo. Alguns medicamentos estão em suspensão e precisam ser sacudidos para garantir a dosagem correta.

colirio02

COMO APLICAR

Puxe delicadamente a pálpebra inferior para baixo com o dedo indicador. Assim, você formará uma “bolsa”, para receber o colírio; Erga um pouco a cabeça, olhando para cima; Instile (pingue) uma gota cheia do colírio na bolsa formada ao puxar a pálpebra inferior para baixo; Não encoste o bico do conta-gotas nos cílios, nas pálpebras ou nos olhos, para evitar que o frasco fique contaminado com bactérias; Depois de cada gota instilada, pressione por cerca de um minuto o anto interno do olho (próximo ao osso do nariz), ou feche os olhos suavemente por 2 minutos.

Com isso, você evita que o colírio escorra e aumenta o seu efeito; Antes de abrir seus olhos, seque com um lenço lágrimas e gotas não absorvidas. Retire as lentes de contato antes de usar colírio que não seja indicado para uso específico com elas, e só coloque-as novamente depois de 15 minutos da instilação do colírio. Se o tratamento for com pomadas, não use lentes.

DICAS IMPORTANTES:

Para evitar contaminação, o mesmo frasco de colírio não deve ser usado por mais de uma pessoa; Se seu oftalmologista prescrever dois ou mais colírios diferentes, dê um intervalo de 15 minutos entre eles para que cada um possa fazer seu efeito; Siga as instruções da bula para armazenamento do colírio. Alguns precisam ser guardados em geladeira, mas a maioria só requer local fresco, seco e protegido da luz; Alguns colírios podem ser muito perigosos, se usados sem receita médica.

Não siga sugestões de vizinhos, parentes ou vendedores; Colírios, como outros medicamentos, podem causar efeitos colaterais, como alucinações, crises de bronco espasmo (falta de ar), alteração de batimentos cardíacos, tontura, desmaios e alergias. Na presença de qualquer um desses sintomas, entre em contato com seu oftalmologista.

ATENÇÃO

Colírios usados para clarear os olhos podem apresentar como efeito colateral o aumento da vermelhidão dos olhos, após seu efeito, o que pode causar dependência do produto para manter os olhos menos vermelhos; Colírios com corticoides não devem ser usados sem prescrição médica, e atendo-se ao uso recomendado pelo oftalmologista, pois podem provocar o surgimento doenças oculares como catarata e de glaucoma;

Colírios antibióticos, usados por tempo prolongado, reduzem a resistência imunológica e aumentam a predisposição a úlceras na córnea e a outras infecções;
Se o colírio que você está utilizando não produz alívio dos sintomas apresentados, entre em contato com seu oftalmologista.

Clique aqui e faça o download do folheto

Material Informativo

×
Olá, quero marcar uma consulta!